{Resenha} O Rei de Amarelo



Título: O Rei de Amarelo
Autor: Robert W. Chambers
Editora: Intrínseca
Tradução: Edmundo Barreiros
ISBN: 9788580575132
Número de Páginas: 256
Ano: 2014
Classificação: 

'O Rei de Amarelo' é uma coletânea de contos de terror fantástico publicada originalmente em 1895 e considerada um marco do gênero. Influenciou diversas gerações de escritores, de H. P. Lovecraft a Neil Gaiman, Stephen King e, mais recentemente, o escritor, produtor e roteirista Nic Pizzolatto, criador da série investigativa True Detective cujo mistério central faz referência ao obscuro Rei de Amarelo. O título da coletânea faz alusão a um livro dentro do livro - mais precisamente, a uma peça teatral fictícia - e a seu personagem central, uma figura sobrenatural cuja existência extrapola as páginas. A peça 'O Rei de Amarelo' é mencionada em quatro dos contos, mas pouco se conhece de seu conteúdo. É certo apenas que o texto, em dois atos, leva o leitor à loucura, condenando sua alma à perdição. Um risco a que alguns aceitam se submeter, dado o caráter único da obra, um misto irresistível de beleza e decadência. Esta edição reúne, além dos contos do Rei, seis outros que alternam entre o sobrenatural e a realidade, em épocas e geografias diferentes. A introdução e as notas do jornalista e escritor Carlos Orsi, ajudarão novos leitores a mergulhar na bem construída mitologia do autor.

Após o sucesso da série True Detective, O Rei de Amarelo, que é uma das maiores referências na série, foi rapidamente publicado aqui no Brasil, porém, o que muitos não sabem é que a obra foi originalmente publicada no final do século XX, mais precisamente em 1985, sendo referência para vários outros autores, como Neil Gaiman, H.P. Lovecraft e até mesmo Stephen King. Um obra, composta por dez contos, mesclando com sutileza a fantasia e o terror de uma forma como eu nunca havia visto antes.

Essa edição da Intrínseca, como já dito anteriormente, possui dez contos. Contos que podem se divididos em três partes: a primeira com os quatro primeiros com um fundo mais fantástico, tendo como base a peça fictícia O Rei de Amarelo, que após lida pelos personagens durante o conto, loucura e delírios são despertados, gerando conflitos extraordinários; a segunda parte que é mais uma transição, com contos de aspecto menos fantasioso e macabro – confesso que dos dois contos que compõem essa parte, eu só entendi o primeiro; e a terceira parte, composta por quatro contos, que possui uma vertente diferente da do começo do livro, pois os contos são bem mais realistas. Considero a primeira parte a mais forte, pois há relação com o próprio nome e tema do livro, porém, a última, que foge um pouco do Rei de Amarelo, não fica muito para trás.

Alguns pontos fortes dessa edição da Intrínseca são as notas presentes nos finais de cada conto e a excelente introdução de Carlos Orsi, jornalista e escritor, que nos ajudam a entender um pouco mais todo o universo de Chambers. Ele nos mostra relações possíveis entre um conto e outro, semelhanças entre personagens e ainda nos apresenta as referências de Chambers usadas durante a narrativa, que mesmo um leitor super atencioso não perceberia. Carlos nos faz refletir ainda mais sobre a obra, proporcionando um maior entendimento, pois ela é bem complexa.

Então por que não cinco estrelas? Quando solicitei o livro, estava com altíssimas expectativas e acabei me frustando. Sim, os contos são legais, em sua maioria, mas não me causaram o impacto que eu pensei que causariam. Eu esperava algo mais tenso e misterioso, um verdadeiro terror. Não houve também um envolvimento com os personagens, ainda mais porque acabava me confundindo com os nomes.

Enfim, pra quem gosta bastate de livro de contos – esse foi o primeiro que eu li por vontade própria –, o livro é uma boa pedida. O universo relatado por Chambers com uma tradução mais atual, diferente do esperado por ter sido escrito no final do século XX, é bem original e intrigante, porém exige dedicação.

10 comentários :

  1. Oi, Lucas! Como você tá?
    Eu fiquei curiosa por esse livro quando falaram dele na turnê da Intrínseca, mas eu não sei se leria porque eu não gosto muito de terror, mesmo que não seja muito forte eu confesso que tenho medo hahaha.
    Muito chato ir com altas expectativas e depois não ser tudo que você esperava mesmo, mas parece ser muito bom para quem gosta desse gênero.
    Bjs!
    Kami
    http://gostoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kami, pode ficar tranquila quanto ao terror... Só a primeira parte, que são os 4 primeiros contos, que são "terror", mas mesmo assim não dão medo algum. É um terror diferente, mais psicológico, pois é fruto da loucura dos personagens.

      Excluir
  2. Apesar de gostar de livros de contos não sei se leria este, achei a capa linda, mas o livro não me chamou a atenção.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, realmente eu acho que o livro não é pra todo mundo... E, para que a total absorção do mundo ce Chambers, é necessária muita vontade e dedicação, pois chega a ser bem complexo e cheio de referências e ligações.

      Excluir
  3. Ainda não conhecia o livro, fiquei curiosa, minha lista está beem grandinha agora :s quem sabe futuramente?
    Seguindo, beijinhos
    http://blogmaisumlivronaestante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você curte bastante contos, é uma boa pedida, Mirian! ;-)

      Excluir
  4. Oi Lucas!

    Não sabia da relação desse livro com a série True Detective. Comecei a ver o primeiro episódio mas não tive tempo de terminar no entanto vi muitos comentários positivos sobre ela. Gosto muito de ler livros de contos apesar de não ler com grande frequência. Ótima resenha!

    Beijo,
    Naty.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Natália! :-)
      Esse foi o primeiro livro de contos que eu li inteiro por vontade própria e acho que não é pra mim... Senti falta do envolvimento que a gente tem com os romances, entende?

      Excluir
  5. Oiee ^^
    Vi esse livro em promoção no Submarino, mas a capa não me agradou...haha'
    Não gosto muito de livros de contos, então não o leria tão cedo *-*
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não sou chegado a livro de contos, Dryh... Mas até que gostei desse.
      Sobre a capa, confesso que ela ajudou bastante quando solicitei o livro Hahaha E também por ser referência em True Detective, claro! :-)

      Excluir