{Resenha} Uma Bondade Complicada



Título: Uma Bondade Complicada
Autor: Miriam Toews
Editora: Relume Dumará
Tradução: Andréa Rocha
ISBN: 8573164298
Número de Páginas: 220
Ano: 2005
Classificação: 
Nomi, uma menina de 16 anos, de uma comunidade menonita, é abandonada pela irmã e pela mãe da noite para o dia, o que torna sua vida na cidade onde vive insuportável, ao lado de jovens rebeldes e um pai silencioso. Porém, está decidida a se libertar – só não sabe como!
Uma leitura ao mesmo tempo comovente e engraçada sobre a busca de uma adolescente dos anos 70.



Não leia esta história se você estiver deprimido ou triste, angustiado ou algo do gênero. Você cortará os pulsos! Verdade. Por outro lado, se, e somente se, você já estiver no fundo do poço, perceberá que a única saída é subir, escalar as paredes de volta ou se deixar boiar enquanto o poço enche novamente – ok esqueça esta alternativa, pois pode demorar muito e tudo que sobrará até a água atingir a abertura do poço serão seus ossos! O importante é que ao fazer esta leitura e condenar – como eu! - a nossa anti-heroína, você estará automaticamente se livrando das prisões mentais que criamos ao nosso redor.

{Resenha} Guerreiro Domado



Título: Guerreiro Domado (Highlanders #2)
Autor: Karen Marie Moning
Tradução: Monique D’Orazio
ISBN: 9788576866190
Editora: Verus
Número de Páginas: 308
Ano: 2017
Classificação: 
Um herói com um segredo...
Gavrael McIllioch nasceu em um clã de guerreiros com força sobrenatural, mas abandonou seu nome e seu castelo nas Highlands, determinado a escapar do destino sombrio de seus antepassados. Escondendo sua identidade do clã rival, ele passou a se chamar Grimm para proteger as pessoas que amava, jurando jamais demonstrar seus sentimentos pela encantadora Jillian St. Clair. Ainda assim, ele cuida dela de longe e, quando o pai da moça lhe envia uma convocação urgente, Grimm corre para estar ao lado de Jillian — a fim de participar de uma competição pela mão dela.
Uma mulher com o coração fechado...
Por que Grimm fugiu de Jillian por tantos anos? E por que voltar agora, para vê-la oferecida como prêmio no jogo de manipulações de seu pai? Furiosa, Jillian prometeu nunca se casar. Mas Grimm é o homem que ela sempre amou, aquele que pediu a ela que se casasse com outro. Ele tenta fingir indiferença às suas provocações, mas não consegue negar o desejo. Jillian é a única mulher capaz de domar a fera que vive dentro de Grimm — enquanto inimigos mortais planejam destruir os dois.

Gavrael McIllioch, ou como prefere ser chamado, Grimm Roderick, era filho do lorde de Tuluth, até serem invadidos. O clã McKane, é o inimigo, e quando eles praticamente dizimaram o seu povo, Grimm de apenas 15 anos, acaba fazendo um contrato com Odin, para se tornar um Berserker e salvar o seu povo do outro clã. Nessa mesma noite, levado pelo desespero do que vê acontecer com o seu povo, Grimm vê sua mãe morta por uma adaga e seu pai ao seu lado com as mãos com sangue. Grimm então, começa a pensar que o seu pai a assassinou e foge para longe.

{Resenha} O Idiota



Título: O Idiota
Autor: André Diniz
Editora: Quadrinhos na Cia
ISBN: 9788535930726
Número de Páginas: 416
Ano: 2018
Classificação: 

Em preto e branco, e num registro quase sem palavras, André Diniz propõe uma recriação surpreendente de O idiota, obra máxima de Fiódor Dostoiévski. Publicado em 1869 e escrito em meio a crises epilépticas e perturbações nervosas e sob a pressão de severas dívidas de jogo, o romance é um dos mais célebres da literatura mundial. Sua oralidade intensa encontra na explosão e na fluidez, na ternura e na enorme capacidade expressiva do traço de Diniz, uma correspondência única.
A história é conhecida: após anos internado num sanatório suíço para tratar sua epilepsia, o jovem Míchkin retorna à Rússia e se vê envolvido num triângulo amoroso cujos ares folhetinescos darão o tom desta adaptação. Entre a vilania de Rogójin, um devasso perdulário que dilapida a fortuna herdada de seu pai, e a beleza arrebatadora de Nastácia Filíppovna, acompanharemos Míchkin e sua pureza quixotesca até o desenlace desta bela e trágica graphic novel.

Nunca tinha tido contato direto com Dostoiévski, conhecia apenas por nome e pela fama de suas obras, porém, sempre nutri um interesse em conhecer algo desse grande autor da literatura russa. Eis que surgiu a oportunidade através dos quadrinhos de André Diniz, com O Idiota, livro recebido por conta Companhia das Letras. Além de conhecer uma história clássica que eu não conhecia, o modo como ela foi contada foi bem diferente, tornando a experiência ainda mais única e inédita.

{Crítica} O Bom Vizinho



Admito, eu não esperava muito desse filme quando comecei á assistir. No máximo, um desses suspenses com jovens entediados espiando a vida dos vizinhos, aos moldes de Paranoia e Alem da Escuridão. Só que essa trama consegue, de um jeito simples e original, inverter e quebrar esse clichê, nos surpreendendo de forma perturbadora e até provocando uma ou outra reflexão que pode durar dias.

Os jovens Ethan e Sean montam uma espécie de kit atividade paranormal na casa de um senhor chamado Harold Grainey, o vizinho rabugento do primeiro. Explicando melhor, eles enchem o lugar de câmeras e outras quinquilharias de efeitos especiais com a intenção de fazer o velho achar que sua casa é assombrada. A desculpa deles é de estar fazendo um experimento social para um trabalho escolar, cujo mote é "como uma pessoa cética pode ser levada, com os estímulos certos, á acreditar em experiencias sobrenaturais". Ok, isso já é um tema meio estranho para um trabalho, mas... O fato é que, conforme avançam, os garotos verão o tão perigoso é perturbar alguém que já carrega seus próprios fantasmas. O Sr. Grainey não se intimida com os "espíritos", tem ataques repentinos de fúria, e parece saber que é observado.

{Coluna} Uma lente no Autor: Ruth Rocha


Sabem os livros paradidáticos? Aqueles que são utilizados na escola de forma paralela ao que está se colocando em prática nas atividades em aula? Muitas das vezes esses livros são a porta de entrada para muitas crianças e adolescentes no mundo da leitura, e somente através deles muitos autores começaram a ficar conhecidos pelas crianças, uma vez que suas produções literárias se encaixavam adequadamente neste grupo de materiais.

É o caso de Ruth Rocha. Essa premiada escritora brasileira pode não ser conhecida da galera jovem de agora, mas eles vão cair da poltrona ao saber que seu livro mais famoso “Marcelo, martelo e marmelo” – um livro que ocupou a mente de muitas crianças e adolescentes na década de 90 já vendeu mais de 20 milhões de exemplares! Suas obras, aliás, já foram traduzidas para vinte e cinco idiomas e recentemente seu livro “O menino que aprendeu a viver” recebeu recomendações de importantes órgãos americanos como o Children´s Books Council.

{Resenha} Doce Lar



Título: Doce Lar (Sweet #01)
Autora: Tillie Cole
Tradução: Flavia Souto Maior
ISBN: 97842212461987
Editora: Essência
Número de Páginas: 320
Ano: 2018
Classificação: 

Aos vinte anos, Molly Shakespeare acha que já sabe de tudo.
Ela leu Descartes e Kant.
Ela estudou em Oxford.
Ela sabe que as pessoas que te amam também te deixam.
Mas quando Molly se muda da cinzenta Inglaterra para começar uma nova vida nos Estados Unidos, ela descobre que ainda tem muito a aprender. No Alabama os verões são mais quentes, as pessoas mais intimidantes e os alunos de sua nova escola muito mais viciados em futebol.Após conhecer o famoso quarterback Romeu Prince, Molly só consegue pensar em seus olhos castanhos, cabelos loiros, físico perfeito... e em como sua vida tranquila e solitária parece estar a ponto de mudar drasticamente.

Já parou para imaginar como seria a estória de Romeu e Julieta no século XXl? E se eles se conhecessem na Universidade do Alabama? E se os dois estivessem destinados a estarem juntos?

"És, para meus pensamentos, como alimento para a vida, Ou as chuvas brandas para o solo em época de seca " - William Shakespeare.

Molly Julieta Shakespeare é uma estudante de intercâmbio inglesa que está fazendo o seu mestrado em filosofia na Universidade do Alabama. Tudo o que Molly quer é terminar o seu mestrado e fazer seu doutorado. Sendo órfã, após sua mãe morrer no parto e seu pai se suicidar aos 6 anos,a garota viveu com a avó até os 14 anos, período esse em que a avó descobriu que tinha câncer e morreu. Após perder todos de sua família e ser alocada em lares temporários, Molly se afunda nos estudos para fugir da realidade, mas quando é alocada com Cass e Lexi em um dormitório, suas amigas têm ideias diferentes e pretendem fazer com que Molly se divirta em seu último ano.

{Resenha} Agora e Para Sempre, Lara Jean



Título: Agora e Para Sempre, Lara Jean (Para Todos os Garotos que Já Amei #3)
Autor: Jenny Han
Editora: Intrínseca
Tradução: Regiane Winarski
ISBN: 9788551001981
Número de Páginas: 304
Ano: 2017
Classificação: 
Série: Livro 1: Para Todos os Garotos que Já Amei
          Livro 2: P. S.: Ainda Amo Você

Em Para todos os garotos que já amei, as cartas mais secretas de Lara Jean — aquelas em que se declara às suas paixonites platônicas para conseguir superá-las — foram enviadas aos destinatários sem explicação, e em P.S.: Ainda amo você Lara Jean descobriu os altos e baixos de estar em um relacionamento que não é de faz de conta.
Na surpreendente e emocionante conclusão da série, o último ano de Lara Jean no colégio não podia estar melhor: ela está apaixonadíssima pelo namorado, Peter; seu pai vai se casar em breve com a vizinha, a sra. Rothschild; e sua irmã mais velha, Margot, vai passar o verão em casa. Mas, por mais que esteja se divertindo muito — organizando o casamento do pai e fazendo planos para os passeios de turma e para o baile de formatura —, Lara Jean não pode ignorar as grandes decisões que precisa tomar, e a principal delas envolve a universidade na qual vai estudar. A menina viu Margot passar pelos mesmos questionamentos, e agora é ela quem precisa decidir se vai deixar sua família — e, quem sabe, o amor de sua vida — para trás.
Quando o coração e a razão apontam para direções diferentes, qual deles se deve ouvir?

Às vezes acontece de um autor pretender terminar a história em determinada quantidade de livro, mas os fãs acabam pedindo por mais e Agora e Para Sempre, Lara Jean entra nesse caso. Jenny Han pretendia acabar a história de Lara Jean em PS.: Ainda Amo você, mas decidiu escrever esse livro a pedido dos fãs, o que acaba gerando certo receio na hora de ler, pois corre o risco de ser uma história descartável ou até mesmo estragar o processo dos dois livros anteriores, mas ainda bem que não foi o caso.