{Resenha} O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares



Título: O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares (O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares #1)
Autor: Ransom Riggs
Editora: Leya
Tradução: Edmundo Barreiros
ISBN: 9788580442670
Número de Páginas: 336
Ano: 2012
Classificação: 

Tudo está à espera para ser descoberto em O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, um romance inesquecível que mistura ficção e fotografia em uma experiência de leitura emocionante. Nossa história começa com uma horrível tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo, por mais impossível que pareça, ainda podem estar vivas. Uma fantasia arrepiante, ilustrada com assombrosas fotografias de época, O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares vai deliciar adultos, adolescentes e qualquer um que goste de aventuras sombrias.

Eu já tinha realizado a leitura desse livro em 2013, mas não inteira, faltaram pouquíssimas páginas para terminá-lo, porém não sei porque eu não quis terminar e ele ficou na estante até recentemente, quando a Intrínseca lançou o segundo volume, Cidade dos Etéreos, o que me animou a tentar ler de novo. E foi bom, porque, tudo o que não aconteceu na primeira leitura, aconteceu nessa e o resultado foi bastante positivo.

Em O Orfanato da Senhorita Peregrine, temos Jacob, de 16 anos, como nosso protagonista. Ele é um garoto americano rico, que não tem uma vida interessante, mas justamente o contrário. Quando era criança, ele sempre escutava de seu avô, um herói da guerra, histórias um tanto peculiares sobre uma ilha na costa do País de Gales, que, na época, divertiam muito o garoto, porém, ao crescer, ele deixou de acreditar no que o avô contava. Porém, tudo fica estranho quando seu avô morre misteriosamente.

Durante a morte de seu avô, que ele presenciou, o garoto pensou ter visto uma criatura estranha ao seu redor, porém, ninguém mais acreditou no garoto, e ele foi dado como louco. Para lidar com esses problemas resultantes da morte de seu avô, o garoto e seu pai partem para a ilha que Jacob tanto ouviu na infância e o garoto acaba descobrindo que seu avô não estava errado como ele pensava, mas certo, muito certo.

Durante as páginas, acompanhamos a investigação de Jacob numa ilha pequena, tentando descobrir a veracidade de tudo o que seu avó dizia, além de, depois de comprovar, conhecer esse mundo novo da Srta Peregrine e todos os mistérios envolvidos, tudo de uma forma bem diferente.

Primeiramente, antes de tudo, eu gostaria de avisar que este não é um livro de terror, que acredito que foi um dos motivos para eu não ter terminado o livro na primeira leitura, pois julguei o livro pela capa, que é bem arrepiante, assim como as fotos meio macabras que estão no meio do livro em algumas páginas, e acabei me frustrando no final, portanto, não se engane, pois é mais um livro de fantasia com uma pegada mais juvenil. Agora que vocês já estão avisados, podem ler sem a frustração de pensar ser terror.

O mundo que Ransom Riggs criou foi bem inédito para mim, misturando crianças peculiares, viagem no tempo, poderes especiais, monstros, desafios e várias descobertas, o que foi bastante positivo. É bem legal acompanhar a jornada de Jacob, um garoto um tanto quanto incrédulo, descobrindo algo muito além do comum, algo peculiar, bastante peculiar, tudo de uma maneira bem envolvente e fluida. Os personagens também são bastante cativantes.

Eu costumo dizer que O Orfanato da Srta. Peregrine é uma grande introdução e acho que é aí que o livro peca. Como o protagonista está conhecendo esse lado novo de sua vida, as descobertas são muitas, as explicações também, o que pode ser um pouco confuso de primeira, principalmente se tratando de algo novo, mas, que ao decorrer da trama, tudo vai ficando mais claro. Além de várias informações, acredito que o livro não possua muitos acontecimentos marcantes, principalmente momentos de conflito, que foram poucos. Senti falta de um pouco mais de ação.

Uma coisa que não devemos botar defeito é a edição. Já começamos com a capa, que, apesar de poder transmitir uma ideia errada do gênero, é muito bonita e detalhada. No interior do livro, temos todo um projeto gráfico no início dos capítulos, nos números das páginas e principalmente nas fotos um tanto quanto macabras, que se destacam bastante e tornam-se um grande atrativo durante a leitura.

Como início de uma trilogia, O Orfanato da Srta. Peregrine, como dito, é uma grande introdução, nos levando a esse mundo peculiar inédito juntamente com um adolescente americano um tanto quanto incrédulo, com direito a personagens cativantes, tudo numa leitura envolvente. Vale relembrar que não se trata de um livro de terror, pois isso não crie muitas expectativas e sinta-se à vontade para visitar o Orfanato.

0 comentários :

Postar um comentário